Buscar
  • lupuscare

LÚPUS EM CRIANÇAS


O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune crônica que pode afetar vários órgãos do corpo, principalmente pele, articulações, sangue, rins e sistema nervoso central. O nome “LES” data do início do século XX. "Sistêmico" significa que afeta muitos órgãos do corpo. A palavra "lúpus" vem da palavra latina para "lobo" e se refere à erupção cutânea característica em forma de borboleta no rosto de alguns pacientes com lúpus, que é semelhante às manchas brancas no rosto de um lobo. "Eritematoso" em grego significa "vermelho" e se refere à vermelhidão da erupção cutânea.


As causas exatas do LES são desconhecidas. O que se sabe é que se trata de uma doença autoimune, em que o sistema imunológico perde sua capacidade de distinguir entre um intruso estranho e os próprios tecidos e células de uma pessoa. O sistema imunológico produz auto anticorpos que identificam as células normais da própria pessoa como estranhas e as elimina. O resultado é uma reação autoimune, que causa inflamação que afeta órgãos específicos (articulações, rins, pele ou qualquer órgão com vasos sanguíneos).


A inflamação significa que as partes afetadas do corpo ficam quentes, vermelhas, inchadas e, às vezes, sensíveis. Se os sinais de inflamação forem de longa duração, como podem ser no LES, podem ocorrer danos aos tecidos e a função normal é prejudicada.

Estudos internacionais apontam que o lúpus afeta mais mulheres entre 15 e 45 anos com origem latina, afro, asiática e de origem indígena. O LES pode afetar e crianças e adultos. Estima-se que 15 a 20 por cento de todos os pacientes com LES, sejam crianças. O início do LES é raro antes dos cinco anos de idade. A doença é diferente do lúpus adulto? Crianças com lúpus podem ter manifestações semelhantes às dos adultos. No entanto, o lúpus de início na infância é geralmente uma doença mais grave e apresenta maiores danos ao longo do tempo. Crianças com lúpus podem desenvolver doenças renais e / ou cerebrais nos primeiros 2-3 anos após o diagnóstico. O envolvimento renal está presente na maioria das crianças com LES e é uma das principais complicações do resultado a longo prazo dessa doença. Os sintomas do LES podem variar amplamente entre cada paciente, de modo que as queixas de cada criança são diferentes. O diagnóstico de LES é baseado em uma combinação de sintomas (como dor), sinais (como febre) e resultados de testes. Outras doenças também devem ser excluídas. No momento, não há cura para esta doença. O tratamento pode ajudar a controlar os sintomas do lúpus e a prevenir complicações da doença, incluindo danos permanentes aos órgãos e tecidos. Quando o LES é diagnosticado pela primeira vez, geralmente é muito ativo e pode exigir altas doses de medicamentos para controlar a doença e prevenir danos aos órgãos. Em muitas crianças, o tratamento mantém as crises sob controle. A doença pode entrar em remissão e pouco ou nenhum tratamento é necessário. O lúpus é uma doença inflamatória crônica e multisistêmica que pode consistir em crises e remissões. O atendimento especializado é a chave para controlar essa doença imprevisível.

130 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo