Quais os sintomas?

 

  • Dores nas articulações

  • Febre

  • Queda de cabelo

  • Manchas avermelhadas, especialmente em rosto, pescoço, peito e cotovelos

  • Feridas na boca

  • Inchaço e vermelhidão ao redor das unhas

  • Dor de cabeça

  • Dor ao respirar

  • Em casos graves, convulsões

Como é feito o diagnóstico?

 

Se  baseia principalmente nos sintomas e em uma bateria de exames específicos. A diversidade de manifestações que o lúpus provoca no corpo dificulta seu diagnóstico frente a outros possíveis distúrbios.

Exames de sangue que medem a produção de anticorpos,  são os melhores indicadores.

É preciso fazer uma investigação detalhada para descobrir se o paciente tem ou não lúpus

Qual o tratamento?

 

Por ser uma doença crônica, o lúpus não tem cura. No entanto, é possível controlá-lo não só com medicamentos, mas também com a adoção de certos hábitos. Entre eles estão evitar exposição ao sol, prevenir-se de infecções e praticar atividade física nas fases em que a doença não estiver ativa.

O tratamento depende muito das manifestações que o paciente apresenta, O uso de corticoides é, em geral, indicado para o tratamento, podendo ser associado a outros

É contagioso?

 

Lúpus não pega, não é contagioso. Ainda não se sabe o porquê da doença, somente  que fatores externos como vírus, exposição ao sol (radiação ultravioleta), entre outros fazem o lúpus entrar em atividade em pessoas que possuem pré-disposição.

Quem tem lúpus?

 

O lúpus pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, raça e sexo, porém as mulheres são muito mais acometidas. Ocorre principalmente entre 20 e 45 anos, porém pode se manifestar em qualquer idade, sendo um pouco mais frequente nos afrodescendentes.

A mulher com lúpus pode ter filhos?

 

Sim, desde que a doença esteja controlada por, no mínimo, seis meses e a paciente não faça uso de medicamentos que possam fazer mal ao feto. Mesmo assim, a gravidez precisa de cuidados e acompanhamento médico mais rigorosos. 

O que não devo fazer?

 

• Consumir bebidas alcoólicas, • Fumar, • Expor-se ao sol mesmo colocando um protetor solar adequado, • Tomar contraceptivos orais sem aconselhamento médico, • Tomar vacinas vivas (como a vacina oral da poliomielite ou da febre amarela, por exemplo)

O que é o lúpus?

 

Lúpus Eritematoso Sistêmico - LES, ou simplesmente Lúpus, é uma doença inflamatória, crônica, de origem autoimune, ou seja, doença provocada pelo mau funcionamento do sistema imunológico da própria pessoa que produz anticorpos em excesso sem um motivo aparente.

Os anticorpos, quando em alta concentração, passam a atacar o próprio organismo, provocando inflamações e lesões em vários órgãos. Rinspulmõespele e articulações costumam ser as áreas mais afetadas, porém a doença eventualmente atinge até cérebro e coração.

São reconhecidos dois tipos principais de lúpus: o cutâneo, que se manifesta apenas com manchas na pele, principalmente nas áreas que ficam expostas à luz solar (rosto, orelhas, colo  e nos braços) e o sistêmico, no qual um ou mais órgãos internos são afetados.

O transtorno pode ser brando em determinados casos e, em outros, incapacitante ou mesmo fatal. E seu curso é imprevisível. Às vezes, o indivíduo fica anos sem nenhum sintoma e, de repente, volta a sofrer com dores e outras complicações. Até por isso é tão crucial seguir o tratamento e as orientações

dos especialistas.

Quais os principais efeitos?

Qual médico devo procurar?

 

O Lúpus deve ser tratado por um médico com formação e experiência no tratamento de doentes com LES. Por regra deverá ser o médico de família, informando-se dos seus sintomas, e colocando esta suspeita a encaminhá-lo para o reumatologista, não esquecendo que cada doente tem sintomas diferentes. Outros profissionais de saúde podem ajudar a lidar com os diferentes aspetos do Lúpus, incluindo enfermeiros, psicólogos, terapeutas ocupacionais, dermatologistas, nutricionistas. Aprender a ter mais auto – confiança, não valorizando a descriminação de que muitas vezes são vítimas, em virtude da sua imagem.

O lúpus precisa de cuidados especiais?

 

Sim. Entre eles estão evitar exposição ao sol; parar de fumar, fazer exercícios; adotar uma dieta rica em cálcio para prevenir a osteoporose; e não consumir alimentos ricos em gordura e açúcar, afastando, assim, os picos de colesterol e triglicérides e o risco de aumento da glicemia, também ligado a esses medicamentos.

Seguir

Av Epitácio Pessoa - Lagoa

Rio de Janeiro - RJ - Brasil

Tel: (21) 2266 - 1794

E-mail: contato@lupuscare.com.br

  • Instagram ícone social
  • Wix Facebook page